Home > Variedades > WAR – Dicas, comentários, estratégias, histórias (discussão encerrada em setembro de 2003)

WAR – Dicas, comentários, estratégias, histórias (discussão encerrada em setembro de 2003)
Postado por andrezatz em 7 de setembro de 2011


War foi o primeiro jogo que a Grow lançou e durante alguns anos foi o único produto que ela comercializou. Com esse esforço de vendas concentrado em um único produto, e passados mais de 35 anos do seu lançamento, o War certamente marcou a vida de várias gerações de jogadores.

Nos primeiros anos de vida deste site, recebemos várias mensagens com depoimentos e dicas de estratégia enviadas por alguns fãs de todas as idades. Veja abaixo uma compilação destas mensagens.

A psicologia conta mais do que parece (Sergio Halaban, São Paulo – SP)
War é um jogo apaixonante, justamente por possibilitar inúmeras alternativas, mas as decisões tomadas durante uma partida não são nada fáceis. Como fazer para disfarçar o meu objetivo? Qual o melhor momento para atacar? Para fazer uma troca? Defender as posições conquistadas? Como romper uma aliança sem perder a credibilidade e ficar rotulado como um traidor indigno de confiança? Como comemorar a vitória de uma batalha sem provocar a ira e o desejo de vingança dos demais? O equilíbrio entre todas essas decisões é fundamental para um bom desempenho em uma partida de War.

War em família (Simone Cavalcanti)
Adoro o WAR, a minha família toda joga, tenho um filho de 9 anos que consegue ganhar de dois adultos e um adolescente, ele ainda fala que a GROW errou ao dizer que o jogo é a partir de 10 anos.

Evite confrontos diretos (André Zatz, São Paulo-SP)
Pode parecer estranho dar essa sugestão num jogo de guerra, mas eu acho que é a melhor estratégia para vencer no War. Naturalmente você tem que atacar outros jogadores, mas tente fazer isso de modo a evitar o conflito de interesses. Todo jogador tem territórios que prefere em função do seu objetivo e estratégia. Se você for com tudo para uma batalha dessas, os dois sairão perdendo, desgastados por uma guerra que não leva a nada. Tanto quanto possível trace metas que não sejam totalmente incompatíveis com as dos adversários. Para isso, preste bastante atenção no que eles estão fazendo. Essa dica vale também para o jogo Corrida Presidencial.

Alessandro Rezende Guimarães ( Exércitos Vermelhos ), Itatiaia – RJ – como organizar um campeonato
Estamos celebrando 30 jogos do nosso campeonato e eu gostaria de lhe passar o sistema de disputa que é bem peculiar. Tínhamos um empecilho para a realização de torneios como o da tabela que o Antônio Macedo lhe enviou. Devido a diversos fatores, como o trabalho, era complicado reunir todos os amigos. Dessa forma, aquele que estivesse ausente sairia prejudicado. Elaboramos, então, um sistema de disputa contínuo que eliminou esse entrave e nos possibilitou um leque de dados para acirrar ainda mais as rivalidades! Como é o sistema?

Aproveitando a idéia de se atribuir 3 pontos ao vencedor, 1 ao sobrevivente e 0 ao eliminado, criamos uma tabela onde são registrados os pontos em sistema de confronto direto.

Luciano Matos, Salvador – BA
Parabens pelo site, War é um divertido vicio. Tenho jogado bastante com amigos o War II. Acho que não existe uma estratégia certa para ganhar o jogo. War é tão interessante que acaba dependendo de diversos fatores. O primeiro a jogar leva vantagem, quem conquistar ou conseguir a maioria de um continente também… e por ai vai. Acho importante saber usar as cartas na hora certa, pois pode definir um jogo. As cartas são a grande esperança de quem está quase perdendo o jogo se reerguer.

DOMINE A TERRA E PARTA NA CONQUISTA DE OUTRO MUNDO!
(Alessandro Rezende Guimarães, Itatiaia-RJ)
Após ter conquistado o mundo pela segunda vez seguida, “brinquei” com meus amigos dizendo que deixaria a Terra para eles enquanto partia para subjugar outros mundos. A brincadeira reflete um pouco a forma “verbal” que estamos habituados a jogar o War. Apesar de ser proibido e de todos negarem, alianças são formadas em diálogos dispersos, jogadores (principalmente os inexperientes) são manipulados, ameaças são declaradas a plenos pulmões, objetivos são especulados a exaustão e (quando descobertos) revelados de forma displicente e etc. Conheci o War, quando criança, por intermédio de minhas irmãs e desde então não consigo ficar por muito tempo sem jogar. Ao longo dos anos fui obrigado a ensinar muita gente para saciar essa vontade de guerrear. Não obtive sucesso quando tentei ensinar o War II. A verdade é que a experiência foi desastrosa, eram aviões de mais para tabuleiro de menos, permanecendo o War original na preferência de todos, inclusive a minha. Adiante, algumas táticas usadas por mim: · No início do jogo, concentre todo o exército disponível para ataque em um único país, as chances de conquista serão maiores e você estará dando um importante passo para o domínio do respectivo continente. Caso você seja o primeiro a jogar, ataque sem piedade até esgotar seus exércitos. Como você será o primeiro a repor peças, poderá despontar como potência já na segunda rodada por dispor de mais países e poder evitar o crescimento de outros exércitos. Claro que e em tudo há exceções, além disso, você pode ter uma primeira rodada desastrosa, mas normalmente os demais competidores não arriscam tanto, e você termina a primeira roda sempre com um número maior de países. Não importa se estão desprotegidos, você será o primeiro a repor exércitos. O máximo que pode acontecer é você começar a 2ª rodada com o mesmo número de territórios do começo do jogo. Comigo sempre dá certo. · Conquistar um continente é vital para seu crescimento. Conquistar a Europa poderá ser decisivo para sua vitória. Através desse continente você tem acesso rápido aos demais e a cada rodada fica 5 exércitos mais forte. Poderia ser a Ásia, mas a Europa pode ser conquistada mais facilmente. · Não perca tempo em confrontos intermináveis. É preferível abandonar a batalha para se fortalecer e só em tão reinicia-la. Certa vez havia três exércitos disputando a África enquanto eu dominava a Europa. Quando finalmente, através de uma troca, dominaram a África, eu a invadi. Eu sabia que não haveria resistência, pois além de desgastado, o exército que havia dominado a África não faria troca tão sedo. · Não conseguindo induzir outro competidor a fazer o trabalho por você, não hesite em sair de seu objetivo para evitar o crescimento de outro exército. O crescimento dele poderá constituir na sua derrocada. Há casos em que o crescimento de um exército pode ser benéfico, sendo assim, ajude-o a crescer. · Quando você conquistar um continente, não dispor de um número suficiente de exércitos para a defesa da fronteira e tiver a certeza que será atacado em seguida, transfira os exército para territórios na retaguarda da fronteira. Você poderá reconquistar esse continente mais facilmente porque o inimigo não poderá estender o ataque por dispor de apenas 3 exércitos para isso. Um exemplo é deixar os exércitos no Sudão e Congo, ao invés de perder-los desnecessariamente na Argélia e Egito. · O mais importante! Podendo adiar seu objetivo até conquistar o mundo, faça! É muito bom ver a expressão dos demais competidores à medida que você vai eliminando um por um e, no final, dizer que vai partir para outro planeta, pois a Terra perdeu a graça.

Erik, 12 anos, Sao Paulo
Estrategia nunca roube exercitos,pois se alquem o pegar, podera dar uma punisao e fique experto com jogadores expertos

Carlos Eduardo Peres Arceburgo – MG
Com a América do Norte, o jogo fica moleza! Na minha opinião, o melhor continente a ser conquistado, independente de qualquer que seja o objetivo, é a América do Norte, pois quando se consegue este, você passa a receber 5 exércitos a mais para defender apenas três fronteiras, abrindo um caminho amplo para o seu real objetivo, experimente!

Vitor Tubino, Xanxerê – SC (Pei0t)
sempre quando jogo war, noto que quem domina a ásia está praticamente vitorioso, porque conquistando a ásia você tem direito a 7 exercitos, e alêm disso na ásia possui maior quantidade de territórios, isso é muito bom. conquistando a ásia a possibilidade de vencer é muito grande e para entrar nos continentes vizinhos fica mais fácil.. porque a ásia é o centro de tudo no jogo. gostaria q vc me enviasse a pergunta para essa resposta. quando vc conquista um continente recebe um valor de exercito X se você depois de ganhar os exercitos, e chegar sua vez novamente e ainda você estiver dominando aquele continente, ganha denovo o valor X de soldado (soldados da conquista) ??? queria saber tambem algum site para se comprar jogos de estrategia, jogos de tabuleiro!.

Título: Pegue a Oceania! (José Salvatore, São Paulo – SP)
Sempre quando eu jogo com meus amigos, quem domina a Oceania não perde mais esse continente. A totalidade da Oceania fornece 2 exércitos extras por rodada, que podem ser remanejados para a Ásia, permitindo uma expansão nesse continente e/ou “abertura de caminhos” para outras regiões. Dominando-se a China, em particular, vc passa a ter muita facilidade de acesso pro resto da Ásia, pois a China tem ligação com muitos territórios. Além disso, tem o lance da proteção: todos os outros continentes têm pelo menos 2 locais de acesso, mas a Austrália só tem ligação com a Ásia, o que torna mais difícil alguém chegar lá. Mas é importante ter os locais de acesso à Oceania bem protegidos (Vietnã e Índia), e/ou conquistar mais em direção à Europa e Ásia, pra não correr o risco de ser surpreendido nas trocas de cartas dos inimigos. Outra coisa importante é saber dosar eventuais brigas pelo continente logo no início do jogo, pois se vc ficar muito preocupado com essa rixa, vai acabar ficando fraco. E perder a Oceania, além de territórios extras que vc possui que vão sendo perdidos por não colocar peças neles, ou por outro lado vc pode se dar bem e conquistar logo ela, ficando forte rapidamente no início de jogo. O ponto certo do equilíbrio entre esses 2 lados não é nada trivial, e vai depender da disposição de peças no jogo, das táticas do(s) inimigo(s), e dos dados…..eles tb precisam colaborar!

Algumas dicas para o War (Fábio Vermelho, Salvador – BA)
O mais importante, no início, é conquistar um continente, seja ele qual for, mesmo que ele não tenha relação com seu objetivo. A escolha do continente a ser conquistado deve basear-se na distribuição inicial dos exércitos, e, se você não for o primeiro, na tendência dos seus adversários. Se você, por exemplo, tem muitos exércitos na África e América do Sul, e um dos seus adversários investiu na conquista da África, tente a América do Sul, e vice-versa. Mas NUNCA tente a Ásia no começo. É impossível conquistar a Ásia sem ter conquistado um outro continente primeiro, pois a Ásia é muito grande e nenhum jogador experiente deixará que você a conquiste. Nunca vi um jogador começar o jogo tentando conquistar a Ásia e conseguir. Todos terminam ficando sem continente e são eliminados do jogo.