Home > Variedades > WAR 2 – Dicas, estratégias e opiniões

WAR 2 – Dicas, estratégias e opiniões
Postado por andrezatz em 7 de setembro de 2011


Na sequência do enorme sucesso do War no Brasil, a Grow lançou o jogo War II. Criado por Mário Seabra, o maior criador de jogos do país, é um jogo parecido com o original mas mais complexo, mais dinâmico e com mais possibilidades estratégicas.

Entre as principais novidades temos a inclusão de batalhas aéreas, a criação de Centros Estratégicos e a modificação do sistema de recebimento de exércitos, especialmente no que se refere à troca de cartas. Há ainda a possibilidade de se jogar com espionagem, variante em que um jogador pode vir a conhecer o objetivo de outro.

Agora você pode fazer ataques aéreos para tornar vulneráveis aqueles territórios lotados de exércitos, que antes era quase impossível conquistar. Você pode transportar exércitos de um centro estratégico a outro. E se você perdeu um território em um continente que era seu, não precisa se desesperar, porque recebe uma parte dos exércitos relativos à posse do continente simplesmente por ter a maioria dos territórios.

Veja a seguir o que dizem alguns jogadores que preferem o War 2 ao War tradicional. Compilamos também algumas dicas e estratégias vencedoras enviadas por nossos leitores.

Carlos Seabra – São Paulo
War 2 foi encomendado ao meu pai (Mário Seabra). Era mais ou menos 1980 ou 1981. Eu e o Fernando (Fonseca Jr.) colaboramos com ele. Foi nossa primeira experiência como criadores de jogos. Entre as mudanças que apareceram no War 2, algumas eram variantes da regra que já usávamos ao jogar o War.

Eu prefiro jogar o War ao War 2, embora o War 2 traga uma maior complexidade estratégica e a mistura de ataques aéreos e terrestres, que guardam uma semelhança com a realidade, onde as forças aéreas destroem o inimigo mas só as terrestres podem ocupar o território. Talvez por que o War seja menos estressante.
Mas jogo o War com os objetivos do War 2 e com outras duas regras do War 2: que ninguém pode atacar na primeira rodada e que quem tem a maioria do continente continua ganhando exércitos adicionais.

Paulo Rezende – São Paulo SP
A questão da Oceania foi alterada por um grupo de pessoas ao introduzir uma nova ligação: Peru – Nova Guiné, o que possibilita a entrada na Oceania e também América do Sul tornando o jogo ainda mais interessante.

Johabio Guerra Rocha, Teixeira de Freitas – BA
War2 é um excelente jogo, por vezes melhor que o War1, pois as possibilidades de estratégia são maiores. No ano de 1999, quando morava em Governador Valadares, jogava quase todos os dias com a mesma turma, as partidas costumavam demorar em media 3 horas de duração, saía até briga. O jogo não era meu, e aqui onde moro, as lojas não vendem, como posso conseguir um mais facilmente pela rede?

Guilherme Duarte, Belo Horizonte – MG
Bem jogadores de WAR,

É minha primeira visita neste site e já o adicionei em favoritos.

Qto a diferenças entre o WAR I e II, achei que o WAR II ficou bem mais dinâmico e emocionante devido a exércitos pela maioria de continente, centro estratégico e trocas com a combinação de cartas.

Só um ponto que realmente não gostei é a utilização de aviões. Realmente não achei muito vantajoso este tipo de ataque. Prefiro o “corpo a corpo” por meio de exércitos.

Utilizo algumas estratégias como deixar sempre ( no início do jogo) dois exércitos em cada território e sempre 3 nos recém conquistados. Posso demorar um pouco a expandir os domínios mas qdo é feito o ataque é bem feito e com poder de destruição.

Márcio Fuzzeto, São Paulo – SP
Já joguei War 2 muitas vezes, ganhei várias e perdi outras tantas, mas uma de mihas vitórias foi inesquecível e vou relatar a façanha para vocês.
Normalmente as partidas que disputo envolvem 4 ou 5 jogadores e nós combinamos uma regra adicional. Depois de se sortear os objetivos este pode ser trocado se houver unanimidade, ou seja, todos devem considerar o objetivo difícil o bastante e então novo sorteio é realizado. Aconteceu o seguinte: Éramos 4 jogadores e ou outros 3 queriam trocar seus objetivos e eu apesar de considerar o meu um tanto complicado para a situação do tabuleiro(destruir os exércitos vermelhos, e eu sem fronteiras com eles) além de ser o último a jogar.
Sabendo, então, que todos teriam dificuldades resolvi fazer o seguinte, ocupei o centro estratégico de Moscou e comecei a lotar de exércitos lá e deixava os meus outros territórios propositadamente desprotregidos para perdê-los logo. Não demorou muito e fiquei só com Moscou, com mais de 30 exércitos(apesar dos insistentes aviões dos adversários) e meu objetivo passou, pelas regras do jogo, a ser conquistar 3 centros estratégicos quaisquer.
Aí ficou fácil, conquistei o Egito, invadi o Omsk e o Aral na Ásia e tentei pegar, sem sucesso o Oriente Médio e depois, na mesma rodada, com ajuda das cartas conquistei a China e ganhei a partida deixando os adversários atordoados com a tática, de quase morto, mas mais forte do que nunca. Inesquecível, ainda mais por que os adversários(menos um, afinal era o seu objetivo)achavam que meu objetivo era colocar 50 exércitos no Oriente Médio, este aliás o pior objetivo do jogo em minha opinião. Abraço a todos e mandem suas histórias, táticas e estratégias.

Rodrigo Montezzo, Rio Claro- SP
O jogo War 2 é muito superior ao primeiro, tendo a grande característica evitar que o adversário possa fazer aquele acumulo de exércitos em um determinado território.

Diego, Fortaleza – CE
WAR 2 é bem mais massa que o WAR, pois é mais difícial alguém ficar poderoso. No War tradicional, qd alguém fica forte não tem como tirar a sua hegemonia, já no WAR 2 existem os famosos aviões que faz um belo estrago em um jogo.

Vitor Saiki Scarpinetti, Itatiba – SP
Com certeza o War II é melhor que a primeira versão, não há comparação nenhuma. Ao contrário do primeiro, que vale muito mais a sorte nos dados, no War II uma boa estratégia é a chave para a conquista dos seus objetivos. Apesar de todo mundo destacar os aviões como a maior novidade, eu acho que o que fez a diferença nessa versão, além dos novos objetivos, foi a inclusão dos chamados Centros Estratégicos, que revolucionaram o conceito de estratégia nesse jogo. Mas os aviões são grandes responsáveis pelas melhoras também. Afinal, alguém que jogou War I tinha imaginado alguma vez que duelos de igual para igual em números(3×3, 2×2) ou com a defesa mais numerosa(1×3, etc) ???

A Filososfia de um Vencedor
Meu nome é Moacir Elcio Bereta Junior, tenho 25 anos, Moro em Engenheiro Coelho-SP, e jogo WAR II desde de 1988 apenas, gostaria de, no entanto, deixar uma dica que pode ajudar a você que está iniciando!!! Há uma filosofia no WAR II, para aquele que pretende ser um vencedor e não um mero participante: “Você só perde uma partida, quando outro participante ganha”, portanto é imprescindível que você decore os 20 objetivos disponíveis no jogo, além de ficar esperto com aquela regrinha: “Quando alguém é reduzido a apenas um território, seu objetivo muda automaticamente para conquistar 3 centros estratégicos quaisquer”!!! Tendo decorado-os, preste atenção durante todo o jogo, se alguém pode estar por completar um daqueles objetivos que você já sabe que existe, e tendo percebido esta possibilidade você deverá concentrar seus esforços em atrapalhá-lo e/ou controlá-lo afim de que ele não ganhe, porém sem esquecer de se proteger, pois a retaliação por certo virá, você notará que poderá demorar mais para ganhar, mas se tiver sucesso, garantirá sua vitória, o que é mais importante!!! Quando você estiver bem experiente, poderá controlar todos os participantes do jogo, e as vitórias serão uma consequência!!!